Cada vez melhor, Ricardo diz querer ir a São Januário em novembro

 

Treinador já anda sem auxílio dos fisioterapeutas. Desejo de assistir a um jogo no estádio foi revelado em conversa descontraída com seu médico

 

 

"Ricardo Gomes vai voltar a trabalhar?" Esta é uma das perguntas que mais foram feitas desde o dia 28 de agosto, quando o treinador do Vasco deixou o campo de ambulância no decorrer do clássico contra o Flamengo em função de um AVC (acidente vascular cerebral). De lá ele foi transferido para o Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência e ficou internado até 18 de setembro (reveja ao lado o vídeo do Fantástico no dia em que o treinador recebeu alta. Clique aqui e confira o site do programa). A decisão sobre o futuro profissional de Ricardo ainda não foi tomada e, pela gravidade do caso, ainda é cedo para falar no assunto. No entanto, o próprio treinador já pensa na possibilidade de sair de casa e ir a São Januário para pelo menos assistir a um jogo do Vasco ao vivo neste Campeonato Brasileiro.

Segundo o clínico pessoal do treinador, Fábio Guimarães de Miranda, Ricardo Gomes falou durante uma conversa descontraída que passa pela sua cabeça ir até São Januário em novembro. Até lá, a tendência é que a recuperação - considerada excelente por toda a equipe - esteja ainda melhor. Na última semana, mais uma etapa foi vencida: Ricardo conseguiu caminhar com o auxílio de um andador, mas sem ajuda de nenhum fisioterapeuta.

- Ele segue melhorando muito e chegou a dar alguns passos com o andador. Tudo isso faz com que mais uma vez a gente diga que a recuperação está muito mais rápida do que todos esperavam. E isso tem feito até o próprio Ricardo pensar em ir a São Januário. Ele me disse brincando que pensa em assistir a um jogo no mês que vem. Quem sabe isso não acontece realmente? - indagou o médico, confirmando que Ricardo já saiu de casa nos últimos dias.

- Ele foi visitar a mãe em sua casa.

A rotina de Ricardo segue a mesma. Durante o dia são realizadas sessões de fisioterapia e fonoaudiologia. A fala, por sinal, segue evoluindo bem. O comandante vascaíno continua tendo dificuldade em articular algumas expressões mais complicadas, mas em termos de raciocínio não há qualquer tipo de problema. Tanto é que ele até retomou o hábito da leitura.

- Ele vem levando uma rotina praticamente normal. Já come sem qualquer restrição, vê televisão, tem lido jornais e livros e recebe bem todos os amigos. Na sexta-feira, quando estive com ele, o vi levantando e sentando na beira da cama sem qualquer ajuda. Isso é maravilhoso. A questão da fala segue melhorando, mas em algumas palavras ele acaba gaguejando, o que é perfeitamente normal - explicou.

Episódios pontuais de tristeza não preocupam

Durante o processo de recuperação, Ricardo Gomes apresentou alguns momentos de tristeza e desânimo. Um dos motivos para isso é a artrose que tem no joelho esquerdo. A velha lesão causa dor e atrapalha as sessões de fisioterapia em certo momento. Outro motivo é ao relembrar a gravidade do caso e ao pensar em questões relativas ao trabalho.

Segundo Fábio Guimarães de Miranda, pensamentos como esse são frequentes e normais em pacientes que se recuperam de um AVC grave como foi o de Ricardo. O clínico afirmou que em nenhum momento foi cogitada a possibilidade de pedir auxílio a um psiquiatra e que o treinador sempre esteve muito mais animado do que triste.

- É natural ter alguns episódios de desânimo. Foi uma operação grave que o fez parar de trabalhar. Além disso, são longas semanas de recuperação que, apesar de extremamentes satisfatórias e animadoras, caminham em ritmo devagar. Mas te digo que ele está mais animado do que eu mesmo esperava - afirmou o médico, para depois brincar e revelar o pedido que fez ao seu paciente.

- É bom deixar registrado, mas ele já sabe que eu, como bom torcedor do Fluminense, quero uma camisa dele autografada da época em que ele era jogador. Vou cobrar! (risos) - brincou.